sexta-feira, 26 de agosto de 2022

Vagares informáticos versus contra-relógios laborais: conclusões batráqueas

 Pessoal amigo (esta é a parte em que olho para os comentários e visualizações e rio-me à fartazana), lamento imenso. Tenho-me mantido já há largos meses arradado das computações pombalino-defecantes derivado à crónica escassez de vagar que me afecta derivado ao motivo do costume: trabalho. Muito. Muito mesmo. Quando eu pensava que o ano passado tinha sido trabalhoso, eis que se me revela um 2022 que eu desejava vir a ser um ano bem mais calmo mas que, ao invés, tem sido o mais atarefado desta minha já avultada vida.

Não me vou pôr com apetecíveis lamentações, pois até tenho tido retorno de tamanha labuta. Porém, agora que me vejo forçado a pausar outra vez por causa da privação da minha relativamente plena saúde, dou comigo com ocasião para voltar a teclar um pouco. E então chego a uma conclusão, que é a que se segue:


de certeza que quem escreve muitos e frequentes comentários e publica muitos textos, imagens e vídeos em blogues, no YouTube e nas redes sociais não deve ter mesmo mais nada que fazer.

 

A sério. É que tudo isso requer dedicação, talento e muito tempo disponível mesmo. Uma pessoa que trabalhe o dia todo e/ou a noite toda, chega a casa e ainda tem toda a lida doméstica para fazer e no final, se por sorte ou muito boa gestão do tempo, ainda tem um pequeno lapso para fazer algo, não tem a menor disposição para produzir algo, quer mas é descansar.


Aí há tempos diziam-me que o trabalho era uma bênção dos céus. Tudo bem... mas já agora eu não me importava de partilhar um pouco desta graça divina para eu não ser o único agraciado. É que até ser assim tão abençoado cansa!


Que a caca esteja convosco!



P.S.: NÃO AO ACORDO ORTOGRÁFICO!!!    

domingo, 24 de abril de 2022

Maus alunos de História, Primeira Parte: António Costa

 Amanhã será 25 de Abril de 2022 e comemorar-se-ão 48 anos da Revolução dos Cravos, que pôs fim ao regime ditatorial do Estado Novo. Não há qualquer dúvida quanto a isso, é algo do senso comum.


Há pouco mais de um mês atrás, António Costa referiu, e a comunicação social deu ampla réplica à suposta efeméride, que a 23 de Março passaríamos a ter mais tempo de vivência em democracia do que em ditadura. «Espera lá», pensei eu cá para mim, «mais como assim?» É verdade que os meus conhecimentos de História são um tanto ou quanto limitados mas vamos lá fazer as contas e ver se nos entendemos.


A Revolução Nacionalista deu-se em 1926, certo? A Revolução dos Cravos deu-se em 1974. Logo, a ditadura durou 48 anos. Da Revolução dos Cravos ao dia de amanhã vão outros 48 anos. Problema: a Revolução dos Cravos foi a 25 de Abril de 1974 mas a Revolução Nacionalista foi a 28 de Maio de 1926.


28 de Maio, não 23 de Março.

 

Não sei que raio de contas ou de contagem de dias andaram a fazer mas o que me parece lógico, na minha ignorância, é que a democracia só ultrapassará a ditadura a 29 de Maio. Isto, claro, se não nos pusermos a fazer outras contas...


Em suma, parece-me que há aqui gente, entre os quais o nosso Primeiro-Ministro, que parecem não ter prestado atenção às aulas de História.


Que a caca esteja convosco!



P.S. (espero que com mais entendidos em História): NÃO AO ACORDO ORTOGRÁFICO!!!

terça-feira, 15 de março de 2022

Portugal Hostil?

 O Governo Russo passou a considerar Portugal como «um país hostil».

Fogo, fomos descobertos. Mas já agora, vamos lá ver em que medida o nosso país é... «hostil»... Talvez o Putin até tenha razão, não é? Afinal de contas, o hino português não fala em «contra os canhões, marchar, marchar»?

Ena pá, que parada militar esta!


Até as mulheres vão à tropa. Só aqui elas, diante dos carros de combate.

 

Estas até vêm de armadura.

Mais carros de combate.

Outro... e dos pesados!

Este é o da malta graúda.


Os últimos gritos em alta tecnologia nas viaturas militares.


Então e isto? Não são tabuleiros com pães, são mísseis!

 

Agentes sob disfarce.

Este é perigoso, tal como o são estes aqui abaixo, os responsáveis pelas torturas.




 

Fortificações ultra-modernas. E são mais que muitas!





Se há muitas fortalezas, é porque há muita guerra. Logo, os Portugueses são um povo de guerreiros, certo?

Então e os civis?

Que agressividade!



Só aqueles cornos! Tão hostil!!!

Então e os gritos de guerra?

Caneco, aí vem uma falange!





E as armas, as bombas que lá têm?


 




 Ai Jesus, que bombástico...

Bombástico...


Eeeeh...

Que bombardas...

Céus, isto é mais perigoso que ogivas nucleares!


Ena pá, isto são só bombas calóricas!!!


Não há a menor dúvida, com uma artilharia desta, Portugal só pode mesmo ser um país hostil.

 

Eu ia para dizer que o Putin ganhasse mas é juízo mas acho que talvez seja mais fácil nós ganharmos antes cautelas para com esse pudim estragado.

 

Que a caca e a hostilidade descrita acima estejam sempre convosco!

 

 

P.S.: NÃO AO ACORDO ORTOGRÁFICO!!!


segunda-feira, 28 de fevereiro de 2022

Prémios Pesadelo na Cozinha: Ucrânia 2022

 (Naturalmente que a situação é triste e eu não pretendo ferir susceptibilidades. O objectivo é sim criticar quem deve ser criticado.)

Bem-vindos a mais uma gala de entrega dos Prémios Pesadelo na Cozinha. Não, aqui não há Ljubomir Stanisic, pelo que podemos respirar de alívio. Mas só um bocadinho, que há quem faça de qualquer cozinhado algo digno de uma indigestão bem maior que as provocadas pelas rebocadas do nosso célebre chefe de cozinha. Estamos a analisar os cozinhados que hão-de sair da grande cozinha da Ucrânia. E digo-vos: está cá um caldinho!

Primeiro galardão da noite. Para o vencedor da categoria Entrada, também designada na gíria por «Fecha a Boca», tal não é a voracidade com que se pretende saciar o apetite com um petisquinho, é... Joe Biden, Presidente dos Estados Unidos da América! É verdade, o homem mandou tantas postas de pescada ao Putin e bitaites que mais parecia querer provocar a guerra em vez de a evitar. Durante semanas a fio, foi desenrolando toda a espécie de acusações e suspeições à Rússia. «Os Russos têm isto e aquilo e vão fazer isto e aquilo e vai ser já amanhã; não, agora é que é mesmo amanhã; não, desta vez é que vão atacar mesmo mesmo amanhã, a sério;  e vão também fazer pirataria informática e, pior, entrar na casa do «Big Brother»... já amanhã!» Enfim, é tão habitual as sucessivas administrações norte-americanas apresentarem falsos argumentos e falsas acusações que, se não fosse nós desta vez termos mesmo a certeza que o Putin estava a armar a estrangeirinha, faríamos orelhas moucas ao «Príncepe de Washington». É a típica história de Pedro e o Lobo.



Na categoria Sopa, a equiparidade de circunstâncias ditou que o prémio fosse repartido entre...

NATO,

União Europeia e

China!

Pois é, todos estes andam com paninhos quentes de volta da caçarola ao lume. Os dois primeiros, que, em geral, se agrupam na mesma equipa, bem querem lá meter a colher mas têm medo de se queimarem. Por isso, apesar do apelo da comida, mantêm-se na borda. Já a China tem-se mostrado surpreendentemente (ou para mim não) apaziguadora dos apetites alheios. Nós sabemos que uma guerra não é boa para ninguém mas um conflito na Europa seria péssimo para um país comunista rendido ao capitalismo e que tem no nosso continente uma vasta clientela para escoar os seus produtos. Para além disso, pretende dar-se bem com a sua vizinha Rússia e não pisar os calos dos Estados Unidos da América, logo agora que o palerma do Trump já não anda por aí a pôr os Chineses com os olhos ainda mais em bico. Atitude sensata. Muito bem!


Em terceiro lugar, o prémio do Prato Principal, conhecido por «Está-se Mesmo a Ver», vai para Volodymyr Zelenskyy, Presidente da Ucrânia. Naturalmente, tornou-se a refeição mais apetecida dos cardápios da actualidade. Bem se pretende servir este prato com uma boa União Europeia ou Aliança Atlântica mas Putin deseja-o cru e só para si, apesar de suspeitar que, uma vez comido, pretende alterar a ementa ucraniana, como fez com a da Geórgia.

 


Para o prémio Segundo Prato, aquele que também está sempre à mesa: Emmanuel Macron, Presidente de França. É verdade, ele está em todas e, apesar de ser um governante medíocre,  tem-nos surpreendido pela positiva face a estes cozinhados. Não desiste perante o desânimo de todos os outros e continua sempre a negociar em prol da paz mesmo quando já tudo anda aos tiros e a amandar bombas para todos os lados. Um aplauso de pé!



Finalmente, na categoria de  Sobremesa, ou «Prémio Já Estávamos à Espera», sem mais demoras: Pudim, quer dizer, Vladimir Putin, o Presidente-Que-Só-Falta-Mesmo-Auto-proclamar-se-Imperador da Rússia. Vá lá, só é cego quem não quer ver. Basta olhar para as acumulações de meios, riquezas e reservas dos últimos 15 anos, para o que aconteceu com a Geórgia (a estratégia parece semelhante, senão igual), para o aumento do orçamento para as Forças Armadas, para os discursos e artigos de opinião megalómanos e imperialistas, para as constantes tricas e ameaças e cortes de gás à Ucrânia, para, enfim, tudo e mais alguma coisa. O homem é ambicioso , extremamente calculista e inteligente e, sejamos francos, doido. Se a refeição não lhe calhar bem, o que se antevê pelo excesso de caramelo, já fala em recorrer aos supositórios nucleares... e não são para ele. Só nos resta saber é se nos ficaremos por este pudim ou se ainda haveremos de ter na Europa ou até em todo o Mundo uma verdadeira salada russa.


 

 

Feitas as contas, tudo isto é uma tristeza. Esperemos que tudo isto tenha uma resolução rápida e que os males para a Humanidade em geral e para a própria Rússia em particular não venham a conhecer um somatório bem mais avultado. É caso para dizer, não, rogar mesmo: Deus nos livre!


Que a caca esteja convosco!



P.S. NÃO AO ACORDO ORTOGRÁFICO!!!

terça-feira, 1 de fevereiro de 2022

Breves comentários sobre as eleições

Decorreram no passado dia 30 de Janeiro, anteontem, mais umas eleições legislativas, desta vez antecipadas. Se por um lado, muito ficou na mesma, por outro muito mudou. Vejamos então o novo panorama em traços largos.


O Partido Socialista voltou a ganhar, como era de prever. Só não era previsível era que o fizesse por maioria absoluta. Eu nunca pensei. Acho que nem o António Costa alguma vez pensou! Portanto, há tudo para mais quatro anos, que se espera serem de estabilidade. Quatro anos socialistas, para o bem e para o mal. Como eu disse, a hipótese menos má.



O Partido Social-Democrata não teve a votação que esperava, diminuindo a percentagem de votos e o número de deputados. À partida, parecia que ficaria atrás do P.S. mas mais taco a taco. No entanto, obteve mais votos que no anterior escrutínio, em que a abstenção foi superior. Rui Rio deixou o lugar à disposição. Vai ter mais tempo para o seu gato. Parece ter cessado o tempo dos moderados a liderar o partido.



O Chega, como era de esperar, tornou-se a terceira força política do país, ainda que sendo um partido um pouco à deriva e à procura de um rumo e uma identidade. Ascensão exponencial, cortesia da campanha negra generalizada de que foi alvo. André Ventura tem muito que agradecer a notoriedade que Ferro Rodrigues, Ricardo Araújo Pereira e outros lhe deram, ainda que a criticar. Para já, nenhum partido quer falar com o Chega. Mais cedo ou mais tarde, serão a isso obrigados.



O Iniciativa Liberal foi outro grande vencedor das eleições e espera-se vir a ser a nova bengala do P.S.D., uma vez eclipsado o C.D.S.. 



O Partido Comunista Português teve o pior resultado de sempre em eleições legislativas. Porque será? Seria importante uma discussão interna e um descolar do Bloco de Esquerda.



Os Verdes devem ter secado pois não conseguiram eleger um único deputado. É pena. Vou ter saudades da Heloísa Apolónia a desancar o Sócrates ou o Passos Coelho.



O Bloco de Esquerda também viu perder metade dos seus deputados. Não foi para mim qualquer surpresa. Surpreendente é continuar a eleger deputados desde 1999. Enfim, fenómenos do Entroncamento e não só... Curiosamente, o partido tem-se mantido muito calado sobre os resultados. Se Rui Rio e Francisco Rodrigues dos Santos estão à rasca, decerto Catarina Martins também estará.



O Livre conseguiu repetir a proeza de eleger um deputado.


 Ao menos Rui Tavares respirará de alívio. O Livre está livre da Joacine... Hehehe! Confesso, é uma piada fácil.



O partido Pessoas Animais Natureza também só elegeu desta feita uma deputada, que é a sua líder, diminuindo a sua votação, como era de esperar. E até isso já foi uma sorte para algo que carece de programa e não é nem ave nem morcego.



O Centro Democrático Social quis «endireitar-se» e a coisa deu mau resultado. Nenhum deputado eleito. Paulo Portas quase destruiu o partido e Assunção Cristas seguiu-lhe as pisadas. O «Chicão» tratou de dar cabo do que sobrava. Outra coisa que o Chega agradece, já que muitos centristas tornaram-se cheguistas. Agora é que  é mesmo P.P.: antes era o Partido da Puta, lugar cedido ao P.A.N., e agora é o Partido aos Pedaços.


De qualquer das formas, a ingovernabilidade foi adiada. No próximo escrutínio os eleitores dirão de sua justiça.


Que a caca esteja convosco!



P.S. (não o partido): NÃO AO ACORDO ORTOGRÁFICO!!!


---------------- ATENÇÃO -----------------

AVISO IMPORTANTE: DADO O ELEVADO TEOR EM EXCREMENTOS CORROSIVOS, NÃO SE RECOMENDA A VISUALIZAÇÃO DESTE BLOG EM DOSES SUPERIORES ÀS ACONSELHADAS PELO SEU MÉDICO DE FAMÍLIA, PODENDO OCORRER DANOS CEREBRAIS E CULTURAIS PROFUNDOS E PERMANENTES, PELO QUE A MESMA SE DESACONSELHA VIVAMENTE EM ESPECIAL A IDOSOS ACIMA DOS 90 ANOS, POLÍTICOS SUSCEPTÍVEIS, FREIRAS ENCLAUSURADAS, INDIVÍDUOS COM FALTA DE SENTIDO DE HUMOR, GRÁVIDAS DE HEPTAGÉMEOS E TREINADORES DE FUTEBOL COM PENTEADO DE RISCO AO MEIO. ISTO PORQUE...

A CACA DE POMBO É CORROSIVA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!